top of page

Conheça as 10 principais tendências para a Internet das Coisas



O ano de 2023 chegou e para manter os negócios em alta durante o ano é necessário ter planejamento e conhecimento. Veja as tecnologias e tendências de IoT mais estratégicas e que permitirão a geração de novas receitas e modelos de negócios.

1 – Inteligência Artificial (IA) – A previsão é de que havia cerca de 25 bilhões de equipamentos conectados em 2021, produzindo um grande volume de informações. Os dados são o combustível que fortalece a Internet das Coisas e a capacidade das organizações de criarem valor a partir dessa base de informações é o que definirá o sucesso dessas empresas a longo prazo. A Inteligência Artificial será aplicada cada vez mais a uma ampla gama de informações de IoT, incluindo vídeo, imagens estáticas, fala, atividade de tráfego de rede e dados de sensores. Muitos fornecedores de TI seguirão investindo pesado no desenvolvimento de Inteligência Artificial e em serviços baseados em plataformas inteligentes. Apesar da complexidade, será possível obter bons resultados com essas tecnolo


gias, em uma ampla gama de situações de IoT. Como resultado, os CIOs (Chief Executive Officers) deveriam adotar em suas organizações ferramentas e habilidades para explorar Inteligência Artificial em sua estratégia de IoT.


2 – IoT social, legal e ética – A medida que a IoT amadurece e se torna amplamente adotada, uma enorme gama de questões sociais, legais e éticas crescerá em importância. Esses pontos incluem a propriedade dos dados e as deduções feitas a partir deles, incluindo tendência algorítmica, privacidade e conformidade com novas leis como o Regulamento Geral de Proteção de Dados (General Data Protection Regulation, GDPR – em inglês). Os CIOs devem, portanto, educar a si mesmos e seus funcionários a respeito e considerar formar grupos, como Conselhos de Ética, para revisar as estratégias corporativas. Os CIOs também devem considerar ter algoritmos-chave e sistemas de inteligência artificial revisados por consultorias externas para identificar potenciais vieses.




3 – O Valor da Informação (Infonomics) e Transmissão de Dados – Pesquisa do Gartner sobre projetos de IoT mostra que 35% dos entrevistados estavam vendendo ou planejando vender dados coletados por seus produtos e serviços no ano passado. A teoria do Infonomics leva essa monetização de dados adiante, colocando as informações como um ativo comercial estratégico a ser registrado nas contas da empresa. Até 2023, a compra e venda de dados de IoT se tornarão parte essencial de muitos sistemas inteligentes e conectados. Os CIOs devem educar suas organizações sobre os riscos e as oportunidades relacionadas ao comércio de dados para definir as políticas de TI necessárias à orientação de todas as suas operações nesta área.


4 – A Mudança da Rede de Borda Inteligente para a Arquitetura de Malha Inteligente – A mudança de arquiteturas centralizadas e de Nuvem para estruturas de Edge Computing está em pleno andamento por conta da Internet das Coisas. No entanto, esse não é o ponto final, pois o conjunto de camadas associadas à arquitetura de Edge Computing evoluirá para um formato ainda mais desestruturado, composta por uma enorme variedade de dispositivos e serviços conectados em uma malha dinâmica. Com Edge Computing, teremos sistemas de IoT mais flexíveis, inteligentes e responsivos, embora muitas vezes à custa de complexidades adicionais. Os CIOs devem se preparar para o impacto das arquiteturas de malha na infraestrutura, nas habilidades e no fornecimento de TI.



5 – Governança de IoT – Com a contínua expansão da Internet das Coisas, a necessidade de uma estrutura de governança que garanta o comportamento apropriado na criação, armazenamento, uso e exclusão de informações relacionadas a projetos de IoT se tornará cada vez mais importante. A governança abrange desde tarefas técnicas simples, como auditorias de dispositivos e atualizações de firmware, até problemas mais complexos, como o controle de dispositivos e o uso das informações geradas por eles. Os CIOs devem assumir o papel de educar suas organizações sobre a importância da Governança de TI e, em alguns casos, investir em profissionais e em tecnologias que os ajudem na gestão de TI.


6 – A


inovação dos Sensores – O mercado de sensores evoluirá continuamente com o uso da IoT. Novos sensores permitirão que uma gama ainda mais abrangente de situações e eventos sejam detectados e novos algoritmos surgirão para extrair e deduzir mais informações das tecnologias de sensores atuais. Os CIOs devem garantir que seus times estejam monitorando as transformações desses componentes para identificar quais novidades podem ajudar na geração de oportunidades e em inovação para os negócios.


7 – Hardware e Sistema Operacional mais confiáveis – Pesquisas mostram invariavelmente que a segurança é a área de maior preocupação técnica para organizações que implantam sistemas de IoT. Isso ocorre porque as empresas geralmente não têm controle sobre a origem e a natureza dos programas e equipamentos que estão sendo utilizados nas iniciativas de Internet das Coisas. CIOs devem colaborar com os principais executivos de segurança digital para garantir que todo o time participe das decisões que envolvam a compra de dispositivos de IoT e sistemas operacionais incorporados.


8 – Nova experiência de usuário para IoT – A experiência do usuário de IoT (UX) abrangerá uma vasta lista de tecnologias e técnicas de design. Ela será impulsionada por quatro fatores: novos sensores, novos algoritmos, novas arquiteturas de experiência e contexto e novas experiências sociais detectáveis. Com um número crescente de interações ocorrendo com dispositivos que não têm telas e teclados, os designers de UX das organizações serão obrigados a usar novas tecnologias e adotar novas perspectivas se quiserem criar experiências positivas para os usuários, protegendo seus interesses dos clientes.


9 – Inovação do chip de silício – Atualmente, a maioria dos endpoints de dispositivos de IoT usa chips de processador convencionais, com arquiteturas ARM de baixa potência, que são particularmente populares. No entanto, os conjuntos de instruções tradicionais e as arquiteturas de memória não são adequados para todas as tarefas que esses itens precisam executar. É esperado que novas gerações de chips possam reduzir o consumo de energia necessário para executar uma DNN, permitindo novas arquiteturas de Edge Computing e funções neurais incorporadas a terminais de IoT de baixa potência. Isso suportará a inclusão de novos recursos, como análise de dados integrada com sensores e reconhecimento de fala, em dispositivos de baixo custo e movidos a bateria. Os CIOs são aconselhados a tomar nota dessa tendência, uma vez que os novos chips permitirão incluir novas funções de IA embarcadas, o que por sua vez possibilitará às organizações a oportunidade de criarem produtos e serviços altamente inovadores.


10 – Novas tecnologias de rede sem fio para IoT – A rede de IoT envolve o balanceamento de um conjunto de requisitos que competem entre si, como custo de ponto final, consumo de energia, largura de banda, latência, densidade de conexão, custo operacional, qualidade de serviço e faixa de frequência da conexão. Atualmente, nenhuma tecnologia de rede otimiza tudo isso de maneira única, mas as novas tecnologias de rede de IoT fornecerão aos CIOs mais opções e flexibilidade. Em particular, explorar 5G, a próxima geração de satélites de baixa órbita terrestre e redes de retroespalhamento.

De olho nessas tendências e oportunidades, as empresas devem trabalhar para garantir que tenham as habilidades e os parceiros necessários para apoiar as suas necessidades de forma eficaz.

A Quadrar Tecnologia é uma empresa de Design House voltada para a Internet das Coisas (IoT) desde 2010. Atua no mercado de projetos eletrônicos em parceria com grandes companhias, oferecendo soluções de alta tecnologia para casos de alta complexidade, atingindo com satisfação problemas complexos.

“Quando percebemos que nessa área de containers refrigerados há muita pouca oferta de equipamentos de IoT, ficamos animados com as novas possibilidades oferecidas pela rede 4G LTE LP, isso é, o segmento de baixo consumo da rede 4G focado em IoT. Isso abriu o caminho para um equipamento de alto desempenho e baixa complexidade de uso, isso é, algo verdadeiramente plug&play focado nesse mercado, ainda pouco atendido”, explica Marco Vettori, CEO da Quadrar.

Com a solução de IoT da Quadrar a equipe de campo e manutenção tem mais agilidade na identificação e correção de anomalias. A equipe de gestão e qualidade tem informações sólidas e consolidadas para agregar mais valor ao negócio. O exportador e o importador da carga têm garantia e tranquilidade que o seu produto chegará ao destino com a qualidade necessária.





Links externos:


68 visualizações0 comentário
bottom of page